sábado, 21 de junho de 2008

Uma escolha

Hoje eu acordei meio estranho. Meio perdido. Comecei a me situar, então. Estava no meu quarto de divisória na pensão onde eu durmo. O enfeite alemão pendurado na lâmpada e o celular tocando ‘o anjo mais velho’ pela quarta ou quinta vez. Tinha dormido com a roupa do dia anterior, por cima do cobertor dobrado. A língua ainda queimada do café solúvel.
Não sabia se estava de bem com o mundo ainda, não tinha decidido. Arrumei minhas roupas da semana que passou, peguei a mala, a mochila e fui para o ponto. No ônibus, só um lugar vago. Um rapaz subiu no ônibus na minha frente, o lugar era dele. Eu ia ficar em pé, tinha que estudar. Não é legal estudar em pé. Acho que tinha decidido: não estava tão de bem com o mundo assim.
Quando passei pela catraca e cheguei à parte de trás, o rapaz se ofereceu para segurar minhas coisas já que estava sentado. Tinha bastante espaço, não precisava incomoda-lo. Agradeci.
É bobo, muito bobo. Mas só a oferta dele me fez mudar de idéia. Estava sim de bem com o mundo. De bem com a vida. Oras. Por que não estaria? Ambos, mundo e vida, são tão lindos. Alguém viu a lua ontem? Quando não estava encoberta estava muito encantadora. Uns minutos depois entrou uma senhora e a moça ao lado dele ofereceu o lugar pra ela. Eu estava feliz.
E daí q tinha quarenta e oito páginas de resumo de físico-química me esperando na mochila? E daí que a maioria do ônibus não tinha nem visto a senhora entrar? E daí os problemas nos quais eu acordei pensando? E daí tudo de ruim que acontece no meu cotidiano?
A gente que escolhe o que pesa mais. A beleza da lua de ontem ou minha chave que quebrou no portão? Não é comodismo. Não podemos deixar tudo como está porque damos mais valor pras coisas boas. Mas podemos escolher em que vamos nos basear. Escolher a que daremos mais valor.
Quando cheguei em casa, fui ver alguns blogs. O que me chamou mais atenção neles foi o texto ‘como se fecha um ciclo’(http://a-redonda.blogspot.com/), um belo texto de um belo blog que diz que a vida continua e depende apenas de você.


Pra terminar com uma história: Saía eu do bandejão ontem a noite, quando passando pelo filtro de água, vi uma menininha na ponta dos pés tentando por água no copinho descartável. Não alcançava o botão. Apertei pra ela. Ela deu um sorrisinho surpreso e olhou pra mim. Parei de apertar quando o copo estava pela metade. Perguntei ‘mais?’. Ela agradeceu fazendo que não com a cabeça e depois ficou lá com o mesmo sorrisinho. E eu estou aqui com o sorrisinho dela ainda. Que bom q o filtro é alto.^-^

Comunidade recomendada: (http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=1417213)

 queen - don't stop me now

9 comentários:

Felipe disse...

Mto bom, embora eu ache q vc já saiba q eu acho isso...
Pensando bem, acho q o q fez a diferença pra mim, esse ano, foi o assunto desse seu texto, e não todas as outras coisas q a gente já discutiu...

Obrigado!
Até Terça e vê se estuda até lá
Panda

carolgsantiago disse...

aaaaaaaah pai eu qria ter visto o sorrisinho da criança ^^ =)

é, nao precisa ficar de mal com o mundo, a minha teoria é q as pessoas q dizem(ou q escolhem) estar de mal com o mundo, na verdade, nao estão bem consigo msms, elas nao conseguem enxergar além delas,e isso é frustrante pq acho q todo mundo precisa de alguem ou algo pra se espelhar e se apoiar! =)

^^

Bjinhos
Carol, sua filhaaa do meio=P

Jéssica Mendes disse...

Oi!

Sabe, eu tenho mania de me encontrar nos textos que leio... Às vezes, eu me adapto. Mas neste eu realmente me encontrei porque realmente essas coisas acontecem comigo e penso quase igual... Os livros, o ônibus da Universidade lotado, ir em pé, uma senhora, ter que estudar, um favor, um gesto, um sorriso, achar a minha vida monótona, achar a vida tão rara, achar que a vida não é chata nem rara, pensar que tudo é único, me emocionar com coisas pequenas, saber que os outros não entenderiam minha emotividade boba, pensar e continuar... Continuar!

Gostei bastante do teu comentário no meu blog e gostei mais ainda do teu blog, teus textos...

Parabéns!

Sucesso por aqui...

Ps.: torço p'ra que você - assim como eu - encontre um tempinho p'ra postar de vez em quando, pois também seria um desperdício que isso não acontecesse. E virei tua leitora, guri!

Abraço!

Anônimo disse...

O texto é excelente e mostra o lado sensível das pessoas. Algo raro em nosso cotidiano.

Sammyra Santana disse...

Adoooooooooro gente que enxerga as pequenas coisinhas que são enormemente interessantes aos que têm a sensibilidade de percebê-las!
Que bom que gostas de borboletas! Eu a-do-ro! rsrs
amei o nome do seu blog... até porque era lá que eu queria morar...
Beijo

Ícaro Vinícius disse...

"que bom que o bebedouro é alto"

Isso me fez pensar... O que é mais prazeroso? Ir em busca de realizar muitas ajudas ou simples favores naturais? É relativo, mas estes últimos dão histórias mais moralísticas, mais meigas... hehehe


Ps.: A fonte vermelha atrapalha um pouco a leitura, que tal branco?

Isa disse...

o q vc escreveu me fez dar mais valor as coisas pequenas do dia-a-dia...

eu sempre dei, mas com a correria é dificil parar pra pensar nessas coisas...

bom,isso foi ontem, pq hj vi o quanto de educação e respeito tambem fariam A DIFERENÇA no dia de milhares de pessoas...mas isso já outra história...

cada um fazendo sua parte, para o bem, claro!!

gostei dos seus textos!! bjos!!

Jéssica Mendes disse...

Você sem tempo p'ra comentar e eu toda corrida p'ra responder os comentários! Oh, vida apressada! Muito obrigada pelo comentário, fiquei feliz com suas doces palavras! Ei, posta mais aqui! Abraço!

Jéssica Mendes disse...

Tem um selo para o teu blog no meu. Olha lá!

Abraço.